quarta-feira, 2 de outubro de 2013

SUOR EXCESSIVO-Como Controlar!


















Resolvi falar desse problema que por estar ligado a imagem pessoal, é importantíssimo se atentar a ele no dia a dia. Com o aumento das temperaturas, confesso que já começo a ficar preocupada, e com certeza muitas de vocês que estão lendo esta matéria tbm. Pois então, já faz algum tempo que venho pesquisando sobre o assunto, esperando algum tratamento alternativo (que não a cirurgia) para a solução ou pelo menos a melhora desse problema, mas atpe o momento as únicas informações são as seguintes:
Hiperidrose é a doença caracterizada pelo suor excessivo nas axilas, palma das mãos, planta dos pés e nuca - e mais raramente na virilha, rosto e abdômen. Ela é causada pela hiperatividade do nervo simpático, que leva as mensagens do cérebro para as glândulas de suor, fazendo o corpo transpirar demais (mesmo em repouso e no frio). "É como se o nervo, por defeito genético, ficasse dando choque na glândula e estimulando-a a produzir mais suor", explica o dermatologista Gilvan Alves. "Em cerca de 40% dos casos há um componente genético, que pode ser hereditário", explica o cirurgião torácico Marlos Coelho, professor de cirurgia na PUC-PR. Segundo ele, o estresse é um gatilho mais forte para a hiperidrose do que as altas temperaturas. Existem ainda graus de sudorese, que vai do úmido ao encharcado, e "a doença pode piorar ao longo da vida, mas não há explicação do porquê de isso acontecer", diz Gilvan.

Para tratar a hiperidrose, é necessário procurar um dermatologista, que, indicará três soluções possíveis:

Cremes à base de hidróxido de alumínio
"Em alta concentração (20%), ele quase desativa a glândula de suor." O resultado, porém, não é definitivo.

Injeções de botox na região afetada
Custam caro, "de R$ 1.500 e R$ 2 mil por área, e precisam ser refeitas entre quatro e seis meses depois", avisa Marlos.

Cirurgia

Há dois tipos. Ambos resolvem a maioria dos casos, mas são contraindicados para obesos, diabéticos e pessoas com insuficiência pulmonar e cardiovascular severas.
Simpatectomia torácica por vídeo

Os gânglios do nervo simpático são definitivamente cortados. Dura cerca de meia hora e são feitos pequenos cortes entre os seios e as axilas que cicatrizam em poucos dias. Após a operação, é recomendado ficar em repouso por dois dias e outros 15 sem pegar peso ou fazer atividade física.

Bloqueio simpático por vídeo
Clipes são colocados nos gânglios do nervo simpático e freiam a produção do suor. Por ser reversível, é a técnica mais usada. A duração, os cortes e a recuperação são idênticas à da simpatectomia.


ATENÇÃO!!!

Com o tal “fator compensatório". Ele "transfere" o suor para outra parte do corpo, geralmente entre os seios e na região lombar. Segundo Marlos, a incidência da compensação varia "entre 54% a 70% numa forma discreta ou moderada, suportável, regredindo em seis meses. Porém, em 1% a 4% dos pacientes ela ocorre de maneira severa e considerada insuportável". Ou seja, a sudorese costuma voltar de forma bem mais fraca que a original.

Eu já tentei os cremes, mas não gostei muito do resultado não, o botox é uma alternativa até que legal, mas ainda estou na espera de um tratamento alternativo. Meninas, caso vcs conheçam alguma informação nova, seria muito legal que compartilhassem pois tem muita gente interessada além de mim. Vamos manter o assunto em pauta, o que acham?


OBS: Roupas manchadas de suor ninguém merece né gente, se quiser saber como remover, não deixe de conferir as dicas que dei nesta matéria AQUI.

Nenhum comentário:

Postar um comentário